floresta_amazonica_900_450

A crise ambiental é antes de tudo uma crise cultural que consolidou a insensibilidade na percepção da natureza como algo sagrado.

Os recursos naturais, totalmente dessacralizados, passaram a ser vistos, apenas, como algo utilitário que só existe para se obter lucro, nas cadeias de produção das gerações do presente, em detrimento das gerações futuras.

Nos ambientes naturais da América do Norte, o cacique Seattle completa:

“Sabemos que o homem branco não compreende nossos costumes…. Rapta da terra aquilo que seria de seus filhos e não se importa… Trata sua mãe, a Terra, e seu irmão, o céu, como coisas que possam ser compradas, saqueadas, vendidas como carneiros ou enfeites coloridos. Seu apetite devorará a Terra, deixando somente um deserto.”

Nosso planeta está com febre, a mãe Terra está doente e somente uma ação global desdobrada em iniciativas locais e propósitos individuais poderá devolver “a saúde” ao MEIO AMBIENTE adoecido.

Um dos propósitos do Movimento ECOFELICIDADE é desencadear uma ação local com potencial de desdobramentos nas relações equilibradas com o MEIO.

O 1º CONGRESSO BRASILEIRO DE ECOFELICIDADE talvez seja o momento de se buscar uma reflexão entre o sagrado e o profano, mais do que isto, um entendimento mais profundo sobre as relações do EU e do OUTRO com o AMBIENTE, o verdadeiro sentido da ECOFELICIDADE.

VISITE: www.ecofelicidade.org.br e saiba mais !!!!

A sacralização do Meio Ambiente: uma estratégia de sobrevivência
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial